SOBRE NÓS

Saiba mais sobre o que nos motiva e quem coloca tudo para funcionar

NOSSA HISTÓRIA

Como todo causo brasileiro que se preze, o nosso também começa com uma partida de futebol. Era julho de 2014. Um pálido sol invernal iluminava o gramado da quadra que mais tarde receberia centenas de pessoas dos quatro cantos do mundo. Neste cenário, a plataforma social Atados realizou a 1ª Copa do Mundo dos Refugiados e a iniciativa nos abriu os olhos para outra realidade: precisávamos de um projeto mais duradouro, capaz de contribuir na missão de integrar esses imigrantes em nossa sociedade.

Assim surge o Abraço Cultural, uma organização não governamental, que tem por objetivo promover a troca de experiências, a geração de renda e a valorização dos refugiados. Através de nossas aulas – com metodologia e material didático próprios – queremos transmitir muito mais do que o aprendizado de uma nova língua: queremos quebrar preconceitos e barreiras culturais, aproximando diferentes povos em um único lugar.

MISSÃO, VISÃO E VALORES

Missão:

Potencializar oportunidades de geração de renda e empreendedorismo a refugiados por meio de um método inovador de ensino de idiomas e troca de experiências culturais com as comunidades locais valorizando nossas diferenças.

Visão:

Ser um ponto inicial de inserção do refugiado no mercado de trabalho e um ponto de contato de suas culturas com a sociedade brasileira para quebrar barreiras culturais.

Valores:

Para o refugiado: Promover a troca de experiências, geração de renda e valorização.Para o aluno: Aprender um idioma através do contato com a cultura de outros países, quebrando barreiras e vivenciando outras tradições.

NOSSOS PARCEIROS

Conheça quem acompanha e ajuda o Abraço a crescer cada dia mais!

NOSSOS COORDENADORES

Loading...
Além de fundar o Abraço, André é também cofundador do Atados e da Casa de Trocas. Antes de se envolver em empreendedorismo social, terceiro setor e economia colaborativa, trabalhou em consultoria de estratégia e gestão. Já palestrou em dois TEDx e na universidade ganhou diversas competições de caso: Desafio Estratégico da Bain, Falling Walls Lab, Thammasat Undergraduate Business Challenge e Desafio Empreendedor da Hong Kong University of Science and Technology. É formado em Administração de Empresas pela USP.
Cofundador do Atados, uma organização que conecta voluntários a organizações sociais, Sementes de transformação, formação de jovens de ensino médio em empreendedorismo social e autoconhecimento para realização de projetos sociais e da Casa de Trocas coworking e cohousing com cursos livres e abertos para o público, sem custo. É também colaborador e voluntário de diversas iniciativas, a mais recente com o Play the Call, projeto que transforma. Teve 3 anos de experiência no mercado financeiro antes de se envolver com projetos sociais e colaborativos.
Administrador de Empresas pela USP com formação em cursos de criação de projetos colaborativos e processos de mentoria da Fundação Fenômenos, Endeavor e Ashoka, foi eleito para o Prêmio Empreendedor Social da Fundação Schwab da Folha de São Paulo. Hoje lidera a expansão do Atados para novas cidades focando no Rio de Janeiro.
Formada em Relações Internacionais pela PUC-SP, se interessa na promoção dos Direitos Humanos e na defesa da migração. Participou do Programa de Educação Tutorial de Relações Internacionais da PUC com o tema “Direitos Humanos, Segurança e Relações Internacionais: aspectos domésticos e internacionais”, realizando pesquisas, se aproximando e se sensibilizando cada vez mais com os dados de conflitos internacionais e as marcas deixadas na esfera individual. Descobriu de vez sua causa sendo voluntária no ADUS, lugar onde passou a se engajar cada vez mais para integração dos refugiados em São Paulo. Hoje, no Abraço Cultural, é responsável pela coordenação geral e gestão administrativa.
Formada em Direito pela Universidade de São Paulo e em Relações Internacionais pela PUC-SP, atua no Terceiro Setor desde 2003. Trabalhou como advogada de organizações beneficentes, coordenou projetos educativos e culturais na Associação Viva e Deixe Viver e contribui com diversos projetos sociais como voluntária. Começou a atuar com refugiados na Tailândia, em um projeto de empoderamento de birmaneses. É voluntaria no Adus, onde começou dando aula de português e agora coordena o grupo de assistência jurídica para refugiados. No Abraço, é responsável pela coordenação geral e gestão administrativa.
Estudante de Letras pela Universidade de São Paulo, pratica o inglês como segunda língua desde os sete anos de idade. Possui formação extra-curricular em Criação Literária pela Academia Internacional de Cinema. Atuou com educação tanto em escola, como através de aulas particulares, sobretudo para o público de Ensino Médio. Possui experiência em correção e produção de textos. Trabalhou também como voluntária em um projeto de contação de histórias para crianças de 3 a 5 anos. Começou no Abraço Cultural como aluna de francês, tornando-se voluntária e, um ano depois, coordenadora pedagógica de inglês.
Formada em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo, atua desde 2011 em coletivos e organizações relacionadas a Direitos Humanos. Tem experiência no terceiro setor e na promoção e defesa de direitos de migrantes, refugiados e povos tradicionais (indígenas e quilombolas). Com experiência internacional no México, já trabalhou dando aulas particulares de espanhol. No Abraço Cultural, é responsável pela equipe pedagógica de espanhol e pela realização das atividades culturais, trabalhando em conjunto com professores e voluntários